Destaques da Imprensa

Compartilhe:
19/03/2014
Com unidade da Novartis, União Química busca consolidação
Veículo: O Estado de S.Paulo 

Jornalista: Mônica Scaramuzzo
O grupo nacional União Química, controlado pelo empresário Fernando de Castro Marques, com 62% do negócio, vai assumir o laboratório da Novartis, instalado em Taboão da Serra (Grande São Paulo), conforme antecipou o jornal O Estado de S. Paulo. Em um acordo de cooperação assinado com a multinacional suíça, a União Química vai continuar produzindo os medicamentos da companhia dessa unidade. A Novartis, contudo, deterá o direito de distribuição e dos registros desses produtos.
 
As negociações entre as duas companhias duraram um ano e meio. O valor do negócio não foi divulgado. A transação deverá ser concluída no início de 2015, com a aprovação dos trâmites regulatórios envolvendo os registros de medicamentos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
 
Com a compra da unidade do Taboão, a União Química seguirá firme no seu plano de expansão no setor. Além de produzir os medicamentos da Novartis, a empresa vai terceirizar a produção para outras companhias.
 
O empresário analisa a abertura de capital do grupo a partir de 2015, caso o mercado se mostre favorável. Décima maior produtora de medicamentos em unidades, de acordo com o IMS Health, o grupo poderá ficar entre as cinco maiores em capacidade de produção. No início do mês, Marques anunciou a compra da unidade da farmacêutica Valeant, na capital paulista.
 
Em 2013, a União Química registrou faturamento de R$ 700 milhões. A expectativa é encerrar este ano em R$ 850 milhões. “Nossa meta tem sido crescer 20% ao ano”, afirmou Marques.
 
Medicamentos
 
A fábrica do Taboão produz um total de 67 medicamentos. Desses, 20 são industrializados em todas as suas etapas, como Cataflan (para aliviar inflamação), Ritalina (para déficit de atenção), Diovan (para hipertensão). Essa unidade poderá gerar receita de R$ 150 milhões ao ano à União Química, afirmaram fontes.
 
O processo de consolidação da União Química se intensificou em 2007, quando o grupo comprou o laboratório Biomacro. Em 2010, assumiu a Tecnopec, voltada para saúde animal.
 
Em 2012, anunciou sociedade na Bionovis e adquiriu a Bthek, especializada em biotecnologia voltada para o controle de pragas agrícolas.
 
A estratégia da empresa, que possui plantas em Brasília, em Pouso Alegre (MG), em Embu Guaçu (SP) e agora em Taboão, é diversificar seus negócios. A empresa tem forte posição em contraceptivos, remédios similares e Mips (medicamentos isentos de prescrição), cujo carro-chefe é o Vodol.
 
Segundo Adib Jacob, presidente da Novartis, a farmacêutica deverá focar sua produção em medicamentos biológicos. A empresa está investindo aproximadamente R$ 1,2 bilhão em uma nova unidade de vacinas em Pernambuco.
 
Sociedade
 
Fernando Castro Marques e seus irmãos, Paulo e Cleiton (controladores da Biolab), discutem na Justiça a separação dos negócios. Os dois, juntos, têm participação de 38% na União Química. Fernando tem uma fatia na Biolab.
Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2020