Destaques da Imprensa

Compartilhe:
04/04/2014
Dengue passa a afetar também os países ricos
Veículo: Valor Econômico 

Jornalista: Assis Moreira

A dengue pode infectar 390 milhões de pessoas por ano, agora também em países desenvolvidos, e impõe um peso econômico importante para governos e famílias, alertam a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Federação Internacional da Cruz Vermelha. As duas entidades lançam campanha de alerta sobre esse "desastre silencioso".

A OMS aponta o Brasil como um dos 30 países mais endêmicos, entre mais de cem que registram a doença. A dengue vem se propagando por causa de urbanização não planejada, falta de saneamento, controle ineficaz dos mosquitos, crescimento demográfico e viagens de longa distância. Não há vacina contra a doença. O instituto Butantã, do Brasil, é um dos que testam uma vacina, mas a OMS diz que no futuro próximo isso será muito difícil de se concretizar.

A estimativa é de que 40% da população mundial está em risco. Muita gente pega dengue, mas às vezes sequer sabe disso. A dengue severa afeta principalmente países da Ásia e da América Latina e tornou-se uma das principais causas de hospitalização e mortalidade de crianças nessas regiões.

Conforme a OMS, o impacto da dengue em termos de custo médico e dias de trabalho perdidos é significativo. Estudos apontam custo médio de US$ 1.500 por paciente e 18,9 dias de trabalho perdidos. Em geral, em países em desenvolvimento o custo para a família do paciente pode representar até o triplo da renda mensal.

A OMS alerta que uma onda de dengue ameaça agora ocorrer na Europa. Transmissão local foi assinalada pela primeira vez na França e na Croácia em 2010. Em 2012, houve vários casos na Ilha Madeira, em Portugal, e foi detectada em outros dez países europeus. Em 2013, casos ocorreram na Flórida (EUA).

A agência da ONU atribui os casos na Europa e nos EUA ao aumento do comércio internacional de pneus usados e ao movimento de mercadorias como o "bambu da sorte", uma planta ornamental originária de Taiwan.

Também a malária aumenta as inquietações de autoridades sanitárias internacionais. A Grécia recentemente registrou um caso pela primeira vez em 40 anos.

A OMS vai deflagrar campanha no dia 7 contra mosquitos, moscas e outros insetos que transmitem doenças que a cada ano infectam mais de um bilhão de pessoas. O slogan será "pequena picada, grande ameaça".
Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2021