Destaques da Imprensa

Compartilhe:
11/07/2014
Concorrência acirrada aquece mercado nacional de vitamina
Veículo: DCI 

Jornalista: Bruna Kfouri

Presente em apenas 20% dos lares brasileiros e com forte potencial de desenvolvimento, a indústria de multivitamínicos - complexos vitamínicos-minerais capazes de suprir a necessidade das pessoas por nutrientes em uma dieta alimentar- vem fortalecendo os aportes em campanhas de publicidade e novos produtos. Os investimentos visam ampliar a participação das principais marcas em um segmento cada vez mais concorrido.

"Essa categoria ainda está em desenvolvimento no Brasil. Nós estimamos que a penetração dela nos lares fique entre 15% e 20%, ou seja, tem muito potencial", disse a gerente de Pharmaton (marca da alemã Boehringer Ingelheim), Joyce Aquino.

Entre janeiro e maio deste ano, o setor de multivitamínicos somou receita de R$ 401,2 milhões. Já em volume, no período, foram vendidas 8,571 milhões de unidades, de acordo com dados oficiais da IMS Health.

Em 2013, as vendas cresceram 22,3% em valor, ante o mesmo período do ano anterior, somando R$ 899,2 milhões. Já em volume, a alta chegou aos 11,2%, totalizando 19,8 milhões de unidades.

"O segmento de vitaminas está entre as três principais categorias da indústria de medicamentos isentos de prescrição médica", conta a diretora de marketing da Pfizer Consumer Healthcare, Bruna Fausto, reforçando a importância e o alcance do negócio.

Para se destacar, a Boehringer promoveu o seu maior aporte em uma campanha publicitária da marca Pharmaton no Brasil, com o objetivo de reposicioná-la neste mercado - a companhia não quis informar o valor do investimento.

"Decidimos dar um passo adiante para fazer a Pharmaton crescer", explica a gerente Joyce Aquino. "Essa categoria está em desenvolvimento e cada vez mais marcas entram nessa disputa. E o momento certo para um novo posicionamento", completada.

A empresa projeta para 2014, um avanço de 25% nas vendas do Pharmaton. Apenas no primeiro trimestre deste ano, as vendas do produto, em unidades, subiram 16,8% ante o mesmo período de 2013. "Fechamos o ano passado com a terceira colocação. Neste ano, com a campanha, viramos a segunda marca do mercado, em valor", acrescenta a executiva.

Segundo ela, a participação de mercado do Pharmaton já chega a 7,3%. Atualmente, a liderança desta categoria está nas mãos do Centrum, marca da Pfizer, com 32,5% de market share, de acordo com informações da companhia.

"Como estratégia de negócios, a Pfizer tem hoje, no seu portfólio, multivitamínicos desenvolvidos de acordo com a necessidade do consumidor", afirma a diretora de marketing da Pfizer Consumer Healthcare, Bruna Fausto. "Nossa aposta está na especificidade".

De acordo com a executiva, o principal desafio da empresa nos próximos anos é mostrar para os consumidores os benefícios das suas linhas de multivitamínicos formulada para cada gênero - o Centrum Homem e o Centrum Mulher -,com doses ajustadas.

"Neste ano, trabalharemos na consolidação desses produtos", conclui Bruna. Outra companhia que aposta bastante na categoria é a EMS. Apenas neste ano, ela já investiu mais de R$ 35 milhões em mídia para ampliar o alcance e as vendas da marca Gerovital.

De acordo com a empresa, esse aporte em publicidade já atingiu, em média, 50 milhões de pessoas. "A EMS tem como meta para os próximos anos consolidar, em definitivo, a marca Gerovital no mercado brasileiro, que há anos é um dos principais produtos da empresa", afirma o diretor da unidade de medicamentos de marca da EMS, Luiz Fernando Dias.
Voltar
Subir ao Topo