Empresas em Foco

Compartilhe:
25/10/2022
Indústria farmacêutica quer colocar o paciente no centro do desenvolvimento de novas formas de dosagem

Fonte: ACG

O investimento em pesquisas no mercado biofarmacêutico global ajuda a impulsionar a inovação e o desenvolvimento de novos produtos terapêuticos para tratar muitas doenças e enfermidades. De acordo com números recentes destacados pela International Federation of Pharmaceutical Manufacturers and Associations, há atualmente mais de 8 mil fórmulas em desenvolvimento em todo o mundo.

Câncer, doenças infecciosas e doenças do sistema nervoso central surgiram como as principais áreas de foco de ensaios clínicos nos últimos anos. Espera-se que o número de pessoas que sofrem dessas condições crônicas aumente à medida que o crescimento populacional é previsto em muitos países em desenvolvimento. Também espera-se que o número de formas de dosagens complexas aumente em paralelo com o crescimento de novos medicamentos em desenvolvimento.

“Houveram inúmeros desenvolvimentos e inovações na entrega de medicamentos nos últimos anos para superar desafios na produção de produtos e formulações”, conta Jnanadeva Bhat, vice-presidente e chefe de formulação R&D (Pharma e Nutra) da ACG, maior fabricante de soluções farmacêuticas e nutracêuticas integradas do mundo. "Outras tendências que evoluíram são seringas pré-carregadas, injetáveis com tecnologia wearable e seringas sem agulha, cada uma delas focada em seu nicho de mercado”, acrescenta Bhat.

Apesar de as fórmulas farmacêuticas injetáveis serem dominantes no pipeline de desenvolvimento, só ter injetáveis pode não ser mais suficientes devido à crescente demanda por mais formulações amigáveis ao paciente, como formúlas de Dosagem Sólida Oral.“Existe uma demanda por inovação contínua para maior eficácia, eficiência e competência em fórmulas farmacêuticas”, diz Bhat. 

Entre as prioridades do desenvolvimento de medicamentos estão não apenas a eficácia clínica e segurança para os seus pacientes, mas também a capacidade para enfrentar os principais desafios, como melhorar a usabilidade, biodisponibilidade, estabilidade e palatabilidade. Como resultado dessa mudança de prioridades, formas de dosagem avançadas, como produtos de liberação modificada, multiparticulados, ODTs e novas combinações de dose fixa, estão sendo cada vez mais demandados pela indústria.

“As prioridades das empresas farmacêuticas mudaram como resultado do esforço em priorizar o bem-estar do paciente, com os fabricantes buscando a forma mais amigável e que suporte máxima eficácia terapêutica e segurança da formulação de produzir medicamentos. Os órgãos reguladores também incentivam formas de dosagem centradas no paciente, o que alimenta esse novo foco”, diz Bhat.

Levar em consideração as opiniões dos pacientes e as avaliações das formas farmacêuticas durante o projeto e o desenvolvimento pode ajudar também a criar produtos fáceis de usar, destaca Bhat. Ele explica que, como a centralização no paciente é cada vez mais proeminente, as formas de dosagem personalizadas também devem ser, o que afasta a indústria de uma abordagem única em termos de formas de dosagem. “Com essa tendência, as dosagens têm um desempenho mais eficaz para os indivíduos, e isso está levando a área de pesquisa e desenvolvimento do mercado farmacêutico para novos caminhos”, Bhat diz.

Inovações importantes

Para Bhat, algumas das inovações mais importantes nas formas farmacêuticas foram observadas na área de inalação. “A administração local por inalação fornece níveis suficientes de fármaco ao órgão-alvo, os pulmões, minimizando a exposição sistêmica e os efeitos colaterais, principalmente devido à redução da dose do medicamento necessária em comparação com a administração oral”, diz ele.

As formulações para inalação de pó seco à base de cápsulas (cDPI, em inglês) oferecem uma opção acessível que diminui a frequência de dosagem e efeitos colaterais, além de oferecer fácil administração, que são preferíveis para os pacientes. “Muitos líderes estão explorando o cDPI para outros segmentos terapêuticos como doença de Parkinson, enxaqueca, tuberculose, fibrose cística e infecção pulmonar", afirma Bhat.

Uma demanda crescente por formulações personalizadas ou medicamentos de precisão terão um grande impacto no desenvolvimento de forma farmacêutica em um futuro próximo, de acordo com Bhat. “O maior foco no paciente central certamente levará os pipelines de desenvolvimento para longe de uma abordagem generalizada para mais tratamentos individualizados”, enfatiza. “Esta mudança também permitirá a criação de mais inovações em administração combinada para obter melhor conformidade com a dose, minimizando o número de medicamentos que devem ser tomados separadamente”. 

Por exemplo, combinar formas de dosagem em uma cápsula dura é uma opção possível. “Tecnologia de pellet, ou minitablets, são um ótimo exemplo de conversão de tecnologia convencional em forma de dosagem oral sólida”, diz ele. “Os mini comprimidos podem ser preenchidos em cápsulas, pois é relativamente fácil de misturá-los para obter combinações de vários medicamentos em doses precisas e com liberação de diferentes perfis, se necessário. Esta solução é personalizada e fácil de usar, pois reduzirá o número de doses que cada paciente deverá tomar”, finaliza.

Esclarecimento

A área Empresas em Foco publica notícias elaboradas e enviadas pelas empresas associadas ao Sindusfarma; seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade das empresas e não reflete anuência nem posições ou opiniões da entidade.

Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2021