Empresas em Foco

Compartilhe:
23/01/2023
Anvisa aprova primeiro tratamento combinado para câncer de próstata metastático resistente à castração

Fonte: AstraZeneca

No dia 23 de janeiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou uma nova indicação do medicamento olaparibe, único inibidor de PARP aprovado no Brasil para câncer de próstata[1] em combinação com um agente hormonal (NHA), abiraterona, para tratar câncer de próstata metastático resistente à castração em primeira linha, independentemente de mutação genética. O estudo PROpel é o primeiro a demonstrar mais de 2 anos de sobrevida livre de progressão radiográfica no cenário do câncer de próstata metastático resistente à castração: 24,8 meses[2]. Essa nova indicação representa um marco no tratamento da doença e uma nova possibilidade aos pacientes.
 
PROpel dá início a “era dos combos” no tratamento oncológico relacionado ao câncer de próstata avançado com resultados promissores e eficazes. Um ponto forte do estudo foi o fato de ele ter tido como comparador um novo agente hormonal em primeira linha, a abiraterona, considerado o tratamento padrão atual. A nova indicação aumentou em 8,2 meses a sobrevida livre de progressão radiográfica, comparado ao uso de abiraterona, na análise por intenção de tratar, proporcionando uma redução de 34% em relação ao risco de progressão ou morte². A combinação também apresentou um perfil de segurança gerenciável e previsível e toxicidade conhecida entre os medicamentos individuais², sendo a anemia o efeito adverso mais encontrado. O estudo evidenciou que o perfil de efeito adverso da combinação consiste com a toxicidade individual já conhecida de cada medicamento, não havendo um aumento com a terapia combinada².
 
Os contínuos avanços na oncologia trazem novas perspectivas aos pacientes que descobrem a doença em estágio avançado, o que corresponde a 20% dos casos[3]. “Esta segunda indicação de olaparibe no cenário do câncer de próstata representa uma importante inovação da jornada destes pacientes. É também, um marco na atuação oncológica da AstraZeneca e de olaparibe, um produto que seguidamente nos traz resultados positivos nos mais diversos cenários. A aprovação de hoje traz a primeira combinação de um iPARP com agente hormonal em primeira linha no câncer de próstata metastático resistente à castração, proporcionando maior tempo sem progressão da doença”, comenta Dra. Marina Belhaus, diretora médica da AstraZeneca Brasil.
 
Sobre a AstraZeneca 

A AstraZeneca é uma empresa biofarmacêutica global, orientada pela ciência, que está focada na descoberta, desenvolvimento e comercialização de medicamentos de prescrição médica em Oncologia, Doenças Raras e Biofarmacêuticos, incluindo Medicina Cardiovascular, Renal e Metabólica, Respiratória e Imunologia. Com sede em Cambridge, Reino Unido, a AstraZeneca opera em mais de 100 países e seus medicamentos inovadores são usados por milhões de pacientes em todo o mundo. 

Para mais informações, visite: www.astrazeneca.com.br e siga a empresa no Instagram @astrazenecabr. 
 
Referências:

  1. Parker et al., 2020
  2. Clarke N, et al. N Engl J Med Evid 2022. [Epub]
  3. MALUF, Fernando Cotait. VENCER O CÂNCER DE PRÓSTATA. 2ª edição. São Paulo: Dendrix, 2020. 

Esclarecimento

A área Empresas em Foco publica notícias elaboradas e enviadas pelas empresas associadas ao Sindusfarma; seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade das empresas e não reflete anuência nem posições ou opiniões da entidade.

Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2021