Empresas em Foco

Compartilhe:
10/06/2024
Pesquisa aponta que menos da metade da população conhece a triagem neonatal
 
Este mês é marcado pelo movimento Junho Lilás, uma campanha de conscientização sobre a importância da triagem neonatal para a saúde dos recém-nascidos. Apesar do teste do pezinho desempenhar um papel fundamental na identificação precoce de condições médicas que podem afetar o desenvolvimento e a qualidade de vida dos bebês, sua importância ainda é pouco conhecida pela população geral. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos[i], realizada em 2023 a pedido da farmacêutica suíça Novartis, apenas 48% dos brasileiros já ouviram falar de triagem neonatal e 60% soube definir corretamente para que serve o teste do pezinho*.
 
O Programa Nacional de Triagem Neonatal é um conjunto de ações preventivas, que tem como intuito de identificar precocemente doenças metabólicas, genéticas, enzimáticas e endocrinológicas em bebês, para que possam ser tratados no tempo correto, evitando as possíveis sequelas e até mesmo a morte.[ii]
 
“O momento da chegada de um bebê geralmente é de muita alegria. Mas é importante que também seja um período de cuidados essenciais que podem impactar a vida dessa criança e da sua família, como a realização do teste do pezinho. Ele pode fazer a detecção precoce de uma série de doenças metabólicas, genéticas e infecciosas, o que permite o início imediato de intervenções médicas que podem prevenir complicações graves e até mesmo salvar vidas”, comenta Dra. Janaína Lana, líder da área médica de terapia gênica da Novartis Brasil.
 
Outro achado interessante da pesquisa é que 30% dos entrevistados acreditam que o teste do pezinho é a impressão plantari. Entretanto, a digital do pezinho, também comumente realizada nos primeiros dias de vida do bebê, serve apenas para a identificação do recém-nascido e não traz nenhum benefício clínico. Sendo assim, além do carimbo feito no pé do bebê, é primordial que os responsáveis se certifiquem que o teste do pezinho foi realizado na maternidade ou levar o bebê até uma unidade básica de saúde entre o 3º e 5º dia de vida.
 
Uma das enfermidades que pode ser detectada teste do pezinho ampliado é Atrofia Muscular Espinhal (AME). A doença faz parte do grupo de condições incluídas na expansão da triagem da lei federal 14.154/2021, ampliando o Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN). Alguns estados brasileiros anunciaram a implementação da ampliação do teste, como Minas Gerais, Paraná e o Distrito Federal. A AME é uma doença genética rara, marcada pela degeneração de neurônios motores. A maioria dos casos é do tipo 1, o mais grave, apresentando sintomas nos primeiros seis meses de vida[iii],[iv].
 
Além da AME, o teste do pezinho, que consiste na coleta de uma pequena quantidade de sangue do calcanhar dos recém-nascidos, permite o diagnóstico precoce de muitas outras doenças. Hoje, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) até sete doenças são rastreadas, mas a lei da ampliação engloba a detecção cerca de 55 patologias. “É essencial aumentar a conscientização sobre a triagem neonatal e incentivar todos os pais e responsáveis a garantir que seus bebês realizem o teste do pezinho logo nos primeiros dias de vida”, finaliza Dra. Janaína.
 
(*) Estudo quantitativo realizado pela Ipsos a pedido da Novartis, no Brasil, entre 15/12/2022 e 16/01/2023. Foram realizadas 1650 entrevistas on-line entre amostra representativa da população brasileira e amostra booster com pessoas que possuem filho de até 12 meses ou que pretendem ter filhos nos próximos 12 meses. Margem de erro de 2,5 p.p pontos percentuais (p.p. - população) e 4,9 pontos percentuais (p.p.- booster).
 
Sobre a Novartis
 
A Novartis está reimaginando a medicina para melhorar e ampliar a vida das pessoas. Como empresa líder global em medicamentos, utilizamos ciência inovadora e tecnologias digitais para criar tratamentos transformadores em áreas de grande necessidade médica. Em nossa busca por novos medicamentos, estamos constantemente classificados entre as principais empresas do mundo que investem em pesquisa e desenvolvimento. Os produtos da Novartis alcançam mais de 750 milhões de pessoas em todo o mundo e estamos encontrando maneiras inovadoras de expandir o acesso aos nossos tratamentos mais recentes. Cerca de 105 mil pessoas de mais de 140 nacionalidades trabalham na Novartis em todo o mundo. Saiba mais em www.novartis.com.
 
Referências
 
  1. Estudo quantitativo realizado pela Ipsos a pedido da Novartis, no Brasil, entre 15/12/2022 e 16/01/2023. Foram realizadas 1650 entrevistas on-line entre amostra representativa da população brasileira e amostra booster com pessoas que possuem filho de até 12 meses ou que pretendem ter filhos nos próximos 12 meses. Margem de erro de 2,5 p.p pontos percentuais (p.p. - população) e 4,9 pontos percentuais (p.p.- booster).
  2. PNTN — Ministério da Saúde (www.gov.br)
  3. Soler-Botija C, et al. Brain. 2002;125(7):1624-1634.
  4. Glascock J, Sampson J, Haidet-Phillips A, etc al. J Neuromuscul Dis. 2018;5:145-158.
 

Esclarecimento

A área Empresas em Foco publica notícias elaboradas e enviadas pelas empresas associadas ao Sindusfarma; seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade das empresas e não reflete anuência nem posições ou opiniões da entidade.

Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2024