Notícias 

Compartilhe:
09/09/2020
Johnson & Johnson tem quatro frentes para combater covid-19

Veículo: Valor Econômico

Jornalista: Celia Rosemblum

A Johnson & Johnson encontra em sua trajetória centenária - 134 anos que incluem passagens por guerras mundiais e pandemias - respaldo para as ações de combate ao novo coronavírus. As iniciativas na atual crise têm como foco: desenvolvimento de uma vacina contra a covid-19, proteção dos colaboradores, garantia de abastecimento de medicamentos e produtos essenciais, apoio à comunidade e aos profissionais de saúde.

“Essas quatro frentes são essenciais para a companhia”, diz André Mendes, CEO da Johnson & Johnson Consumer Health no Brasil. E estão alinhadas aos valores da empresa. “Então, toda a companhia se voltou para essas frentes, com impacto na gestão de pessoas, na linha de produção, na distribuição e também nas ações com a sociedade.”

As iniciativas locais, diz o CEO, ultrapassam R$ 9 milhões em doações, ações de prevenção e testagem para a covid-19, além de capacitação técnica e apoio para médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde. A companhia destinou, por exemplo, R$ 500 mil à Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), por meio da Fiotec, para produção de 25.000 testes rápidos para distribuição a hospitais públicos.

As ações e recursos aportados foram examinados por um comitê interno de resposta à crise, liderado pelo time de impacto comunitário global da Johnson & Johnson, “que considerou as criticidades e necessidades mais emergentes do campo”, explica Mendes.

A própria empresa e parceiros estratégicos se encarregaram do processo de distribuição e doação, explica o executivo. “Contamos com organizações não governamentais como o Unicef [Fundo das Nações Unidas para a Infância] e Aldeias Infantis, instituições do Proadi-SUS, como a Sociedade Israelita Albert Einstein, e governos, por meio de suas secretarias.”

O Unicef recebeu 1,5 milhão de sabonetes para distribuição, com apoio de parceiros locais, a crianças, adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza, como também para a população de rua e adolescentes no sistema socioeducativo nessas cidades.

Para o governo de São Paulo foram doados 90 mil produtos - como sabonete, xampu, enxaguatório bucal e escova de dente - para serem encaminhados à população em situação de vulnerabilidade social, profissionais de saúde e da segurança pública.

Mendes conta que além do grupo de trabalho em resposta à crise da covid-19, formado por membros de diversas áreas das unidades da Johnson & Johnson, os times de produção da fábrica em São José dos Campos (SP) e o de demanda e logística foram envolvidos no processo.

“Para a produção de 150 toneladas de álcool gel, convertemos parte do nosso time e da linha de produção para uma resposta emergencial, visando à proteção de nossos colaboradores e dos profissionais de saúde na linha de frente”, diz o executivo. Inicialmente, foram implementadas duas rodadas de produção, mas a empresa vai continuar avaliando a necessidade de novos lotes, informa.

No programa de suporte emocional aos profissionais que atuam na linha de frente contra a covid-19, que soma R$ 1,3 milhão, estão previstas 7.600 consultas virtuais com psicólogos, em parceria com a startup Moodar. A ação também tem o objetivo de prestar apoio a 20 mil médicos e enfermeiros, por meio do aplicativo Vitalk, da empresa TNH Health, que promove conversas virtuais e exercícios práticos para reduzir os níveis de estresse, ansiedade e desânimo.

No aplicativo, até o momento, mais de 3.800 profissionais foram atendidos. “As análises preliminares do time de especialistas clínicos da TNH evidenciam maior interesse dos profissionais de saúde pelas linhas de conversa e cuidado que abordam os temas ansiedade, covid-19, relacionamentos e depressão”, relata Mendes.

A Johnson & Johnson, afirma o executivo, também está investindo para expandir sua capacidade de fabricação global, inclusive estabelecendo novos locais de produção de vacinas nos Estados Unidos e aumentando a capacidade de fabricação em outros países. “Essa capacidade de manufatura adicional será fundamental para que a empresa cumpra a meta de fornecer mais de um bilhão de doses da vacina globalmente, ao longo de 2021, desde que ela seja segura e eficaz. Uma vez comprovada segura e eficaz, a J&J se compromete a garantir acesso amplo à vacina, sem fins lucrativos, para uso emergencial durante a pandemia”, afirma.

Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2020