Notícias 

Compartilhe:
11/09/2020
EMS lança primeiro remédio nanomolecular do país

Veículo: Valor Econômico

Jornalista: Ana Paula Machado

A EMS lança no mercado brasileiro o primeiro medicamento utilizando a nanotecnologia, a nanomolecular da parceria firmada há seis anos com a americana Zyla. O anti-inflatório é um remédio de prescrição médica indicado para inflamações crônicas e pode ser utilizado por um ano ininterrupto sem comprometimento renal ou hepático. Normalmente, esse tipo de medicação é ministrada por até 25 dias.

Segundo Joaquim Alves, diretor da unidade de negócios de Prescrição Médica da EMS, o contrato prevê a importação da droga e o envasamento na unidade de Hortolândia, no interior de São Paulo. Além disso, a farmacêutica brasileira tem a exclusividade de comercialização no país de todas as inovações lançadas pela a americana.

Pelo planejamento, a expectativa é que esse medicamento, no primeiro ano de comercialização, tenha faturamento de R$ 50 milhões. “Em três anos, será um dos nossos cinco campeões de vendas. Atrasamos o lançamento em função da pandemia, era para estar no mercado no primeiro trimestre deste ano. Mas, acreditamos que os números esperados deverão ser alcançados dentro do planejado”, afirmou.

Segundo o executivo, o medicamento passou por um estudo clínico robusto com mais de 600 pacientes. “Esse remédio foi lançado há três anos nos Estados Unidos e a nossa parceira já está em processo de lançamento de novos produtos dentro dessa tecnologia. Pelo nosso acordo poderemos ter mais medicamentos desse tipo no país”, ressaltou o executivo.

Segundo ele, esse é o primeiro medicamento em nanotecnologia vendido no mercado dos Estados Unidos. “Nesses três anos já fatura cerca de R$ 1 bilhão no mercado americano, anualmente. Por isso, estimamos esse volume de vendas no país”, afirmou.

Alves disse que o planejamento da área de prescrição é o lançamento de 13 medicamentos neste ano, sendo três de inovação incremental. “Dos três inovadores, dois foram desenvolvidos pelo nosso centro de pesquisa e desenvolvimento. Por ano, investimos 6% da nossa receita em inovação e temos 400 funcionários dedicados”, disse.

Um dos medicamentos inovadores lançados pela EMS é uma molécula de aripiprazol em suspensão oleosa usado no tratamento do transtorno bipolar e esquizofrenia.
Segundo o executivo, o medicamento agora poderá ser ministrado em gotas que contém uma miligrama.

“Era um pedido antigo dos médicos, pois, em gotas se consegue medir melhor a quantidade de miligramas que o paciente necessita. É a primeira molécula desse tipo no mundo”, garante diretor da unidade de negócios de Prescrição Médica da EMS.

Com esses lançamentos, Alves ressaltou que a expectativa de faturamento para este ano da área de prescrição médica é de R$ 2,2 bilhões, isso representa crescimento de 18% no comparativo com o mesmo período de 2019. O executivo afirmou, ainda, que a divisão é a maior dentro do grupo, com 43% dos negócios. Hoje, a EMS tem medicamentos genéricos, hospitalares, de prescrição e OTC. “O segmento de prescrição deve crescer de 5% a 7% neste ano. Com os lançamentos que promovemos, nossa evolução serão mais que o dobro do mercado”, disse Alves.

Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2020