Notícias 

Compartilhe:
11/12/2021
Empresas Mais: Aché consegue estreitar vínculos mesmo a distância

Veículo: O Estado de S.Paulo, anuário Empresas Mais

Jornalista: Indefinido

Estadão Empresas Mais 2021
Ranking - categoria Farmacêutica
Aché
Eurofarma
Cristalia
Sanofi Medley
Hypera Pharma
Roche
União Química
EMS
Blau
10º AstraZeneca
Estadão Empresas Mais 2021
Ranking - categoria Farmacêutica
Aché
Eurofarma
Cristalia
Sanofi Medley
Hypera Pharma
Roche
União Química
EMS
Blau
10º AstraZeneca


Perceber que é possível realizar grandes transformações na saúde e na qualidade de vida das pessoas mesmo a distância foi o grande aprendizado do Aché Laboratórios Farmacêuticos, segundo sua presidente, Vânia Machado. A empresa figura em primeiro lugar em sua categoria na edição 2021 do ranking Estadão Empresas Mais e a executiva acredita que o significado do propósito da empresa foi materializado nesse período.

“A pandemia nos fez enxergar o mundo com outros olhos, avaliar prioridades e modelos de trabalho, além de explorar novas alternativas e tecnologias que podem beneficiar o trabalho diário. Com isso, ganhamos em flexibilidade, integração, produtividade e estreitamos os vínculos pessoais e profissionais”, afirma Vânia.

Para equilibrar os desafios naturais do negócio com os necessários cuidados com a segurança e a saúde, o Aché lançou mão de um arsenal de medidas, que incluíram a criação de um comitê de enfrentamento da crise para a tomada de decisões mais rápidas e assertivas, doação de medicamentos e equipamentos de segurança, bem como de cestas básicas e apoio a pesquisas para tratamentos.

Os investimentos em inovação foram mantidos, segundo a executiva. “Mesmo neste ano tão desafiador, lançamos 46 produtos, dentre os quais um lubrificante e um anti-inflamatório não hormonal, marcando nossa entrada em um novo segmento, o de oftalmologia. Demos continuidade também aos investimentos para implantação da nova fábrica de Pernambuco”, diz Vânia.

Outra medida essencial foi acelerar os projetos de digitalização que já estavam em desenvolvimento. “Suspendemos as visitas presenciais e viagens e estendemos para todo o Brasil a plataforma Conecta Aché, iniciativa própria que já utilizávamos para realização de visitas virtuais, permitindo a interação do representante Aché com o médico por áudio e vídeo, em tempo real”, explica a presidente do laboratório. Também foi incentivado o uso de canais como telefone, e-mail e WhatsApp. Para esse último, foi feita uma parceria para o desenvolvimento de um API voltado para a visitação médica, o WhatsApp Visit.

Foi necessário também um monitoramento preciso dos processos operacionais nas fábricas para afastar qualquer risco na cadeia de abastecimento do laboratório. “Além de mantermos a operação integral de nossas fábricas, criamos um fórum para prospectar novos parceiros que garantissem um abastecimento sustentável, atendendo aos padrões regulatórios de qualidade e segurança, e investimos na diversidade de fornecedores de matérias-primas”, explica Vânia.

A executiva lembra que o Aché contou ainda com o apoio de uma consultoria externa para reestruturar os processos de planejamento de produção e suprimentos. No período, foi inaugurada a Intralogística, uma iniciativa para consolidação de almoxarifados e movimentações internas, que proporcionou mais eficiência nos processos de just-in-time da fábrica, na gestão de produtos acabados, exportação, logística da pesquisa clínica, logística reversa e centralização dos recebimentos de materiais indiretos.

O investimento em tecnologia foi mantido, com a meta de atingir o status de indústria 4.0 em todas as plantas. Vânia destaca que o Aché se tornou a primeira farmacêutica a reunir AGVs (automated guided vehicle), transelevadores e sistema MES em uma única planta fabril, no Cabo de Santo Agostinho (PE). A unidade foi inaugurada em novembro de 2020.

“Intensificamos os investimentos na produção, por meio de robôs que atuam nos equipamentos de embalagem, representando um aumento da produtividade e redução da perda de materiais, e na montagem de paletes”, explica a presidente da farmacêutica. Segundo Vânia, essa atividade demandava um revezamento a cada hora entre os operadores para evitar o desgaste físico. Hoje, o operador está focado no controle operacional e no aumento de performance da linha produtiva.

O Aché está agora retomando a rotina nos escritórios, seguindo o modelo híbrido de trabalho e ainda tomando todas as medidas para garantir a segurança dos colaboradores. A volta presencial plena só deve ocorrer quando o avanço da vacinação mostrar que isso é seguro. Enquanto isso, a direção da empresa vai seguir avaliando o cenário com os órgãos competentes, especialistas e os próprios funcionários.

Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2021