Notícias 

Compartilhe:
06/07/2023
Manifesto: Reforma Tributária Já
Veículos: Valor Econômico, Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo, O Globo e Correio Braziliense 
 
Façamos do Brasil o país que todos almejam
 
O Brasil tem pressa. Precisa de mais investimentos, mais inovação, menos burocracia, ser mais competitivo, mais eficiente, criar melhores empregos para desenvolver-se e garantir o bem-estar de todos. Tais objetivos exigem uma reforma tributária abrangente, homogênea e moderna.
 
O caminho a seguir, em conformidade com as melhores práticas internacionais, recomenda alinhamento aos 90% dos países do mundo que adotam o imposto sobre o valor adicionado para todos os setores, desonerando as exportações e os investimentos, além de valorizar a produção, o comércio e os serviços.
 
Apoiamos com convicção essa causa porque ela é boa e necessária para o país. A aprovação da reforma tributária dos impostos sobre o consumo, numa primeira etapa, tem o potencial de aumentar o produto interno bruto (PIB) em 12% a 20% em até 15 anos, segundo estudos disponíveis. Isso significa, em dinheiro de hoje, R$ 1,2 trilhão a mais circulando na economia.
 
Um Brasil mais dinâmico, competitivo e rico vai emergir, incentivando o crescimento alavancado pelo fim da tributação em cascata e outras práticas nocivas ao desenvolvimento.
 
Todos os setores econômicos e sociais vão ganhar se o país tiver um sistema tributário racional - o que há muitos anos deixou de existir. O tempo e os recursos desperdiçados com a burocracia dos impostos poderão ser investidos de maneira mais produtiva.
 
As empresas optantes do Simples continuarão nesse sistema. No caso do setor de serviços, essas empresas constituem a grande maioria.
 
Para superar os principais desafios e ter um país próspero, justo e solidário, os brasileiros precisam abraçar a causa que é de todos.
 
Chega de perder oportunidades! Façamos do Brasil o país que todos almejam!
 
As entidades abaixo assinadas representam atividades que geram milhões de empregos e respondem pela maior parte da arrecadação de impostos no país. Elas manifestam o seu apoio à reforma tributária em tramitação na Câmara Federal, com a expectativa de sua aprovação.
 
FIESP, SINDUSFARMA, ABPS, ABICAB, ABIMED, ARTEFATOS, ABIPEÇAS, ABICS, ABIMO, ABFA, ABILUX, ABIMAQ, ABITM, ABIPLAST, ABINEE, ABIFER, ABIGRAF NACIONAL, ABIGRAF-SP, ABIHPEC, ABIÓPTICA, ABIMETAL, ABIT, ABDIB, ABEMÚSICA, ABIACAV, ABICALÇADOS, ABRAMEQ, ABIMEX, ABRAC, ABCP, ABRACI, ABRE, ABRAMACO, ABNC, ABRAPUR, ABRAVA, ABTT, BRASNUTRI, AIPAN, AJESP, ANIP, ABIMAPI, AFEAL, ANAHP, ANP, ANFAVEA, ASPACER, CBL, CIESP, FEHOESP, FENAESS, IBA, IBGM, IBModa, IQB, ICOS, IEDI, SICONGEL, SINDILOUÇA, SINDICERCON, SINCER, SINICESP, SINDCORDOALHA, SINDIENERGIA, SIMMESP, SIM, SINAESP, SINAEES, SINACOURO, SINAFER, SIAPAPECO, SIAMFESP, SINAEMO, SIBAPEM, SINDBGESP, SINBEVIDROS, SINDIFRANCA, SICJ, SINDIFIBRA, SINDICEL, SIETEX, SINDEX, SINDITEXTIL, SINDIJOIAS, SINDILUX, SINDLEITE, SIMABESP, SINDIPLAST, SINDIPÃO, SIPAN, SINASPAN, SINDIPAN, SINPA, SIPATESP, SICAB, SINPROCIM, SINPROQUIM, SINDISUPER, SINDRATAR, SIRESP, SINDIMAD, SITIVESP, SINDIVIDRO, SINDICAFÉ-SP, SINDICOURO, SINDMILHO & SOJA, SIM, SINDUSTRIGO, SINDIROUPAS, SINDUSVINHO - SAO ROQUE, SINDILEME, SINDIBRINQUEDOS, SINDICERAMICA, SINBI, SIVPP, SINDIVERP, SINDIGRAF, SIMEFRE, SINÁLCALIS, SINCS, SINDIPEÇAS, SINIEM, SNIEE, SINDIFORJA, SINDIMAQ, SINPEC, SINARME, SINFAVEA, SICETEL, SNIC e SIMDE.
Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2024