Notícias 

Compartilhe:
26/04/2024
Biotecnologia na Suíça: os bons resultados da missão brasileira
“Encontrei reais possibilidades de conexões com instituições da Suíça. Minha impressão é das melhores e eu fiquei muito satisfeita com os resultados obtidos. Recomendo a todos que em 2025 façam parte dessa delegação para colher os frutos bacanas dessa oportunidade”. O depoimento da coordenadora de Gestão Tecnológica da Fiocruz, Carla Maia, sintetiza a experiência dos integrantes da missão brasileira à Swiss Biotech Day, organizada por Sindusfarma e RBIF, que manteve encontros na feira da Basileia e visitou ecossistemas de inovação entre os dias 22 e 25/4.
Integrantes da delegação brasileira organizada por Sindusfarma e RBIF (Veja quem é quem no rodapé da página*)
O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, participou da delegação a um dos principais eventos internacionais de Biotecnologia pelo segundo ano consecutivo. Ele destacou a importância do trabalho conjunto entre os setores produtivos e de inovação com a agência reguladora brasileira. “Neste tema, a Anvisa se faz presente na Swiss Biotech Day com todo o setor produtivo, tanto da área farmacêutica como também das iniciativas de startups e inovação. É a nossa forma de produzir uma entrega cada vez melhor para o povo brasileiro”, disse.
 
A gerente de Desenvolvimento de Negócios da Libbs para o Segmento Institucional, Ana Paula Santana, elogiou o evento e a atuação do Sindusfarma. “É uma oportunidade incrível de encontrar empresas e startups que estejam desenvolvendo produtos que façam sentido na estratégia da Libbs. Fizemos aproximadamente 18 reuniões com oportunidades de negócios para o Brasil e exterior e toda essa interface com o Sindusfarma proporcionam ótimas oportunidades de conexão”, disse.
 
Presente na edição do ano passado, a sócia-diretora da Inovatie, Nilva Bortoleto, contou que a empresa fez bons negócios em 2023. “Por isso nós voltamos. Em um mundo globalizado, temos muitas oportunidades no Brasil e exterior, e o evento é uma ótima oportunidade de conhecer novos parceiros e expandir os negócios”, disse.
 
A academia também se fez presente na Swiss Biotech Day. Francisco Jaime, Pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), aproveitou o evento para conhecer empresas e profissionais de vários países, com tecnologias que podem ser aplicadas junto com o Brasil. “Certamente faremos parcerias futuras com empresas multinacionais”, disse.
Mesa redonda reuniu brasileiros e suíços na Swiss Biotech Day
Para o CEO da Gcell, Raphael Baptista, a missão empresarial à Suíça é uma ótima oportunidade de destacar a ciência do Brasil para os demais países do exterior. “O evento está muito bem-organizado e é possível fazer grandes negócios”, disse.
 
Para o diretor Comercial da Intrials, Arthur Nigri, o evento traz um potencial de oportunidades junto as biotechs internacionais. “É importante para divulgarmos o potencial de estudos clínicos da nossa região e a Intrials como referência em inovação para todo esse ecossistema”, disse.
 
Na visão do CEO da Biodecision, Rodrigo Araldi, o evento atende às expectativas tanto das empresas maduras como daquelas em desenvolvimento. “É uma oportunidade de conversar com o mundo e fazer negócios. Com certeza a Biodecision estará na edição de 2025”.
 
Intercâmbio
 
No 2º dia da Swiss Biotech Day, a mesa-redonda “Facilitando investimentos, licenciamento e ensaios clínicos: oportunidades brasileiras e suíças de Biotecnologia” reuniu empresas brasileiras e suíças e representantes do Sindusfarma e da Anvisa. Durante a conversa, os brasileiros foram unânimes em destacar que o país vive um momento favorável para o fomento da inovação.
 
“Temos tecnologias, ciência de classe mundial e apoio governamental. Além de uma autoridade regulatória, a Anvisa, alinhada aos melhores padrões internacionais e iniciativas voltadas à inovação, principalmente no que tange às startups, como editais e guias orientativos”, disse a diretora Técnico-Regulatória e de Inovação do Sindusfarma, Rosana Mastellaro.
 
Também participaram da mesa-redonda a assessora de Assuntos Internacionais da Anvisa, Elkiane Macedo; o CEO da Biodecision, Rodrigo Araldi; o gerente de Alianças da Intrials, Luca Betancourt; e Marcio de Paula, consultor do Sindusfarma e representante da RBIF.
Delegação visita o centro de pesquisa e desenvolvimento da Novartis 
Visitas
 
No dia 24/4, a delegação brasileira visitou centros de inovação em saúde localizados em diversas cidades suíças: o Bio-TechnoparkSchlieren, em Zurique, um parque científico que reúne startups e empresas globais; e o BioArk, espaço voltado para atividades de fabricação e crescimento da inteligência artificial dentro do setor biotecnológico, sediado em Montheye Lausanne.
 
No mesmo dia, o grupo brasileiro visitou o centro de pesquisa e desenvolvimento Novartis Campus, situado na sede global da empresa, na Basileia.
 
Os executivos e profissionais brasileiros também tiveram a oportunidade de conhecer o Swiss Institute for Translational and Entrepreneurial Medicine (sitem-insel), na capital Berna, instituição público-privada que oferece uma infraestrutura para pesquisa e desenvolvimento de dispositivos médicos, tecnologias biomédicas, novas terapias, bem como produtos combinados e diagnósticos.
 
Carla Maia, da Fiocruz, destacou a importância das visitas técnicas. “Foi uma excelente oportunidade de conhecer as instituições, empresas e os centros de inovações suíços, sendo uma experiência enriquecedora de ver ao vivo o que, por vezes, ouvimos em uma palavra ou evento”.
 
Startups brasileiras
 
Como parte da agenda da missão brasileira à Suíça, para explorar oportunidades de colaboração e negócios na área de biotecnologia, foi lançado na quarta (24), na Pupella & Innovation Garage, na Basileia, o “Guia de Startups de Biotecnologia em Saúde do Brasil”. A publicação, elaborada por Sindusfarma, RBIF e Biominas Brasil, apresenta uma visão das inovações biotecnológicas do Brasil, dos cenários de investimento e dos marcos regulatórios, sendo voltada para investidores, pesquisadores e formuladores de políticas públicas interessados em estabelecer parcerias.
Rosana Mastellaro e Marcio de Paula durante o lançamento do guia de startups de biotecnologia
O Guia traz o perfil de 40 startups. Os dados e análises da publicação se baseiam nas contribuições de 69 startups de biotecnologia espalhadas pelo país, que responderam a um formulário de perguntas sobre temas como as necessidades do mercado, capacidade de inovação e prontidão para a colaboração internacional.
 
O lançamento do guia abriu a programação do evento que contou com a apresentação de soluções de startups brasileiras, sul-coreanas, suíças e holandesas.
 Debate no auditório principal do Swiss Biotech Day, no Congress Center Basel
(*) Na primeira fileira, da esq.: Arthur Nigri (Intrials), Carlos Eduardo Vitor (Libbs), Marcio de Paula (Sindusfarma/RBIF), Rodrigo Araldi (Biodecision), Leandra Basptista (Gcell Cultivo 3D), Antonio Barra Torres (Anvisa), Raphael Baptista (Gcell Cultivo 3D), Francisco Jaime (Parque Tecnológico de Campina Grande) e Bruno Abreu (Sindusfarma).
 
Na segunda fileira, da esq.: Ana Paula Santana Souza (Libbs), Nilva Bortoleto (Inovatie), Claudia Cilento (Inovatie), Rosana Mastellaro (Sindusfarma), Daniel Meirelles (Anvisa), Carla Maia (Fiocruz), Giovana Camila Bueno (Synvia), Marcela Amaral (Sindusfarma) e Elkiane Macedo (Anvisa).
 
Leia também:
 
Voltar
Subir ao Topo

Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos

Todos os direitos reservados - Sindusfarma 2024